tabela4.png









Utilização e Princípios dos Números Romanos
 
Utilização dos Números Romanos

São inúmeros os vestígios deixados ao longo dos tempos pelas civilizações. A romana contribuiu com os números romanos e, mesmo perdendo parcialmente a utilidade, continuam a ser utilizados nos seguintes exemplos:

  • emperorcn_7846aMostradores de relógios;
  • Numeração de capítulos e volumes de livros;
  • Designação de autoridades como papas, imperadores e reis;
  • Denominação de séculos;
  • Designação de congressos, esportes olímpicos e assembleias;
  • Indicação de datas;
  • Transcrições de leis;
  • Cenas de um teatro.
Princípios aditivo e subtrativo

tabelaprincipios
 
Caracterizado pela repetição de um mesmo símbolo em até 4 vezes, o processo aditivo era bastante usado no sistema romano mais arcaico. Modificado posteriormente, esse procedimento foi trocado pelo princípio subtrativo, ou seja, um mesmo símbolo, exceto V, L e D, pode ser repetido até 3 vezes, facilitando a representação.

Uma outra maneira de simplificar a representação de números grandes como o vinte mil (20 vezes a letra M), sugere-se inserir um traço na horizontal sobre um numeral simples e fazer a multiplicação entre eles.

M
= 1000

MM = 2000

MMM = 3000

MMMM (método antigo) = 4000
__
IV
(método atualizado) = 4000

dreamstimefree_8646651aCuriosidade

Vários relógios antigos apresentam o número 4 grafado na forma arcaica IIII, mesmo o sistema romano tendo se modificado. Alguns relatos explicam esse fato por razões estéticas, mas principalmente religiosas. Antigamente, as letras I e V representavam J e U, respectivamente. Júpiter era o deus dos povos antigos, então, para seu nome não ser pronunciado em vão, pois a representação era IVPITER, evitava-se o uso dessas duas letras (I e V) no relógio. Portanto, era preferível a escrita IIII.